Título: Mestre Das Chamas
Autor: Joe Hill
Ano: 2017       
Editora: Arqueiro     
Número de páginas: 592
Skoob: Adicione
Compre: Amazon
Cortesia: Livro cedido em parceria com Editora Arqueiro

Sinopse:Ninguém sabe exatamente como nem onde começou. Uma pandemia global de combustão espontânea está se espalhando como rastilho de pólvora, e nenhuma pessoa está a salvo. Todos os infectados apresentam marcas pretas e douradas na pele e a qualquer momento podem irromper em chamas.Nos Estados Unidos, uma cidade após outra cai em desgraça. O país está praticamente em ruínas, as autoridades parecem tão atônitas e confusas quanto a população e nada é capaz de controlar o surto.
O caos leva ao surgimento dos impiedosos esquadrões de cremação, patrulhas autodesignadas que saem às ruas e florestas para exterminar qualquer um que acreditem ser portador do vírus.
Em meio a esse filme de terror, a enfermeira Harper Grayson é abandonada pelo marido quando começa a apresentar os sintomas da doença e precisa fazer de tudo para proteger a si mesma e ao filho que espera.
Agora, a única pessoa que poderá salvá-la é o Bombeiro – um misterioso estranho capaz de controlar as chamas e que caminha pelas ruas de New Hampshire como um anjo da vingança.
Do aclamado autor de A estrada da noite, este livro é um retrato indelével de um mundo em colapso, uma análise sobre o efeito imprevisível do medo e as escolhas desesperadas que somos capazes de fazer para sobreviver.



O mundo vive sua pior época, de repente a população simplesmente começa a pegar fogo. Sem mais nem menos, os habitantes do planeta água adquirem uma espécie de tatuagem que marca suas peles com riscos aleatórios em preto e dourado, e esse é o primeiro sinal de que a qualquer momento, aquele hospedeiro entrará em combustão, tornando-se cinzas sem nenhuma chance de defesa.
Mas o que de fato está acontecendo? E mais importante, qual é a solução? Esse é o fim da civilização?
É nesse contexto de desespero que vive Harper Grayson, uma jovem enfermeira, que adora crianças e se pudesse resolveria os problemas do universo com os mesmos métodos de Mary Poppins. Viciada em livros infanto-juvenis, Harper é pega de surpresa quando, em seu trabalho, na enfermaria de uma escola, ela é obrigada a tapar os olhos de uma criança para que a mesma não seja testemunha do que seus próprios olhos não puderam ser poupados: um cidadão pegava fogo no jardim da instituição de ensino.
Os Estados Unidos estão em pânico e as cidades pouco a pouco vão entrando em estado crítico, perdendo seus moradores para, o que agora é conhecido como Escama do Dragão. E como a sociedade lida com a situação? Criando seus próprios esquadrões de extermínio, que saem pelas ruas com o único intuito de matar os portadores do novo mal que assola a civilização, para que, dessa forma, não haja contaminação. Estando tão assustada quanto todos os estadunidenses, Harper acha em si os desenhos que lhe marca como mais uma contaminada, e vive momentos de desespero ao ser abandonada pelo marido, e em sequência, conhecer um misterioso homem que parece ter o poder de, ao invés de sucumbir às chamas, dominá-las. É o fim de um ciclo, com um vislumbre aparentemente irreal de um novo método de viver no caos que se tornou a Terra.

“Existe algo de terrivelmente injusto no fato de morrer no meio de uma boa história, antes de ter oportunidade de ver como tudo acaba. Em certo sentido, claro, eu acho que todo mundo sempre morre no meio de uma boa história. Da sua própria história. Ou da história dos seus filhos. Ou dos netos. A morte é sempre dureza para os viciados em narrativas”.

Nunca havia lido nada do autor, mas tenho que deixar claro que fui completamente conquistada. Joe Hill escreveu um livro de extensas 581 páginas, mas que em momento nenhum, foi cansativo. Narrado em terceira pessoa, e dividido em nove partes, a história flui como se estivesse em contato com um livro muito menor. Hill foi detalhista na medida certa e todo o enredo é tão bem elaborado, que era difícil parar de ler e não pensar no que aconteceria no capítulo seguinte. Mestre das chamas me fez sentir muito ligada aos personagens, dando aquela impressão gostosa de que a história se passava em algum lugar próximo, não “apenas” nas páginas diante de mim.
Além não ter deixado pontas soltas, o autor criou protagonistas e coadjuvantes que se destacaram por serem reais em suas personalidades, tendo em si o bem e o mal que coexistem em todo o ser humano. Além de inserir detalhes que talvez pareçam bobos, mas deram um delicado ar de leveza ao contexto de destruição em que vivem. Por exemplo o amor de nossa protagonista, e de uma de suas amigas, pela literatura. Em muitos momentos, em sua mente, Harper comparava as pessoas ao seu redor com personagens conhecidos, por exemplo quando assemelhou um velhinho muito amável, com o famoso Dumbledore.
Outro ponto muito interessante, que vale ser ressaltado, é a forma como Hill coloca, de forma muito real, o que a sociedade faria em uma situação apocalíptica onde, supostamente, alguns são mais culpados que outros. As situações e decisões tomadas pelos personagens, são totalmente condizentes com o que veríamos se de repente um colapso desse nível tomasse conta do planeta. Nem foi preciso que o autor fizesse parágrafos ou capítulos de análise, quando é tudo muito crível, e você realmente imagina que o ser humano seria de capaz de tomar cada uma das decisões que os personagens tomam.

“Os behavioristas têm um conceito chamado microexpressões, emoções que saltam à superfície e revelam tudo numa centelha quase rápida demais para ser percebida. [...] Era assombroso quanta informação podia se dar entre duas pessoas com um único olhar, sem que nenhuma palavra fosse dita”.

Mestre das chamas é envolvente e mesmo que assuste pelo tamanho, não deve ser negligenciado por isso, as páginas fluem de forma muito natural, e você se vê preso até chegar ao final, mal notando o passar do tempo. Recomendo muito, e mal posso esperar para ler outras obras do autor!







18 Comentários

  1. Olá Aline,

    A escrita de Joe Hill é sensacional, sou fã do autor!
    A história parece ter extremamente envolvente, em meio todo esse cenário apocalíptico.
    Não conhecia esse livro do autor ainda, mas fui conquistada.
    Creio que mesmo sendo longo, a leitura vale a pena mesmo.
    Recomendo também outras obras do autor, creio que você irá gostar bastante (:

    Beijinhos,
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  2. Oiiii Aline tudo bem?
    Eu adoro a forma que Joe escreve, se tornou um dos meus autores favoritos desde que li amaldiçoado dele, sua resenha ficou ótima e bem cativante, sei que seria uma ótima pedida para ler neste momento.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Eu sempre digo que não vou ler mais Joe Hill, por achar ele um pocou ou totalmente erértico, massssssssssssssssssss
    Tô eu aqui roendo as unhas para ler, mas ainda prefiro o pai rsrsr

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ana!
    Nunca li nada do Joe Hill, eu tenho Amaldiçoado aqui comigo (o nome era outro, antigamente, até o lançamento do filme), mas ainda não entrei na vibe de leitura rsrs. Sendo ele filho do Stephen King, acho que não poderia esperar menos que um mistério apocalíptico e uma crítica à sociedade. hehehe
    Vai para a minha lista de desejados!
    Bjos
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Nunca li nada do autor, e também nunca li nada parecido com esse enredo e fiquei bem curiosa para saber mais sobre o livro, quero ler!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Estou curiosa pra ler esse autor, fiquei sabendo a pouco tempo que é filho do King, já pirei pois a escrita deve ser fantástica. Já me animei pois sua experiencia foi positiva então acredito que vá gostar também. O tema abordado na trama me atraí muito pra leitura, torcendo pra conseguir ler ainda esse ano.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Lendo a sinopse lembrei de outros livros apocalípticos que li como: A CAIXA DE PÁSSAROS (deixou várias pontas soltas, poderia ter aprofundado várias parte do livro) e A TORRE ACIMA DO VÉU. Gosto desse tipo de leitura, tenho que me arriscar mais no gênero, quem sabe logo, logo eu tente ler... Valeu!

    www.viagensdepapel.com

    ResponderExcluir
  8. Eu morro de vontade de ler esse livro e adorei conferir a sua opinião com a leitura. Acho que é uma obra que vai me deixar grudada na leitura até terminar de ler.

    ResponderExcluir
  9. Oii, tudo bem?
    Nunca li nada do autor, mas adoro esse tipo de livro. Já estou curiosa, parece ser uma trama bem envolvente.
    Beijoss <3
    Páginas Empoeiradas

    ResponderExcluir
  10. Eu não costumo me deixar intimidar pela quantidade de páginas de um livro, ainda mais diante de um autor como este. Gosto quando os autores são detalhistas sem serem enfadonhos. Espero ler em breve
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Aline! Que escrita deliciosa é a sua. Parabéns! Sua resenha me fez sentir o livro.
    Eu já li dois livros de Hill, Nosferatu e O pacto, e gostei muito. Gosto do estilo dele. Estou louca para ler esse também. Pela sua resenha tenho certeza que vou adorar a leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oiê!
    Já ouvi falar desse autor, mas ainda não tive oportunidade de ler nada dele. Achei a premissa da história interessante e gostei da caracterização da personagem principal. Dica anotada! =)

    ResponderExcluir
  13. Eu já vi resenhas positivas sobre a história e por ser o filho do King eu já quero! Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?

    Nunca li nada do autor, mas vejo ótimos comentários a respeito.
    Apesar de ser um livro longo gostei da premissa e da sua opinião.
    Dica anotada, beijos

    ResponderExcluir
  15. Me dá vontade de ser parceira da Arqueiro só pra ganhar esse livro. Bah, desde que ele foi anunciado achei a premissa sensacional. Tô louca pra lê-lo e tua resenha só me deixou com mais vontade.

    ;*

    ResponderExcluir
  16. Oi! Não li nenhum livro do autor, mas pelas suas impressões e descrições da leitura, parece uma escrita bem parecida com a do pai dele, Stephen King (que amo de paixão), principalmente sobre essa questão da dualidade do ser humano, o bem e o mal em uma pessoa e nos apresentando um enredo viciante :)
    Adorei sua resenha e vou anotar a dica com certeza! Beijão :*

    ResponderExcluir
  17. Aline, eu nunca li nada do autor e nem nunca tive muito curiosidade por parecer que não era meu estilo.
    Mas confesso que se ele tiver 10% do pai dele, então ele merece ser lido.
    Adoraria ler para tirar minhas próprias conclusões.
    Gostei da premissa desse livro.

    ResponderExcluir
  18. Xará muito legal seu texto, essa foi a primeira resenha que li desse lançamento. Fico feliz pelo autor estar seguindo bem os passos do papai Stephen King. Tenho vontade de ler os livros dele, agora acho que posso começar por esse. Valeu pela dica!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir