Título: A Chave de Rebecca
Autor:Ken Follett
Ano:2017
Editora: Arqueiro
Numero de páginas: 352
SkoobAdicione

Cortesia: Livro cedido pela Editora Arqueiro

Sinopse: Norte da África, Segunda Guerra Mundial. As tropas britânicas na região estão sofrendo perdas significativas. Não há dúvidas de que alguém está informando o inimigo sobre os movimentos e planos estratégicos do exército britânico.
 O espião é conhecido por seus compatriotas alemães como Esfinge, mas para todos os outros é o empresário europeu Alex Wolff. Após cruzar o deserto, ele chega ao Cairo, no Egito, munido de um rádio, uma lâmina letal e um exemplar do livro Rebecca, de Daphne du Maurier. Violento e implacável, ele está disposto a tudo para cumprir a missão que recebeu. Para isso, conta com a ajuda de uma dançarina do ventre tão inescrupulosa quanto ele. O único homem capaz de detê-lo é William Vandam, oficial da inteligência britânica que precisa desvendar o enigma do Esfinge para interromper o avanço dos nazistas. Ao mesmo tempo que os alemães chegam cada vez mais perto da vitória final, Vandam também se aproxima de seu adversário, da chave que revela o código escondido no livro – e do combate mortal...

Alex Wolff é um espião nazista que se instaura no norte da África, mais especificamente na cidade do Cairo, no Egito, para uma missão desacreditada. Ele deve conseguir informações da estratégia britânica e enviá-las ao exército alemão. Ninguém acredita que um espião possa ser tão útil, e ele é tratado como um gasto desnecessário. Mas Alex é decidido e não pretende parar na primeira dificuldade.
Em contrapartida temos o Major William Vandam, o homem encarregado de parar o espião de codinome Esfinge, que tem causado certo tumulto desde que entrara no Egito.
Paralelamente temos vislumbres das vidas de Sonja, uma dançarina famosa no Cairo, e de Elene Fontana, uma jovem egípcia em busca de melhores chances na vida. Sonja é decidida, sabe bem o que quer e o quanto é boa no que faz. Há muito tempo viveu um caso passional com Alex, e agora que o espião está de volta, surge mais uma grande oportunidade de estreitar os laços. Já nossa outra grande personagem, Elene, sabe de seus encantos e já os utilizou por muito tempo para sua sobrevivência. Agora, no entanto, busca uma vida cada vez mais tranquila, mal podendo acreditar quando lhe surge a proposta de ajudar um major em uma missão de espionagem.


“Ela parecia um colecionador de arte verificando sua melhor obra: pensava no rosto como sendo dela, não ela. Sorriu e o reflexo no espelho sorriu de volta. Era um sorriso pequeno e íntimo, com uma leve sugestão de malícia”

Nunca havia lido nada do autor, mas há algum tempo queria experimentar, e acredito que tenha feito uma boa escolha começando por esse título.
Em um primeiro momento fiquei ligeiramente perdida com a quantidade de personagens que eram inseridos na história, mas aos poucos fui me adaptando a escrita do Ken Follett e a assimilação foi ficando mais rápida.
De uma forma geral, os personagens me agradaram bastante, todos possuindo um lado bom e um mau – como nós mesmos – deixando-os mais próximos da realidade. No entanto, preciso acrescentar que me encantei com William Vandam, um dos protagonistas. Vi em suas ações, ao longo da narrativa, bastante veracidade e em alguns momentos me senti como sua amiga íntima.

“Eu sou isolado. Olho tudo de longe. Eu me importo, mas me recuso a fazer coisas sem sentido, gestos simbólicos, ter ataques de fúria vazios. Ou nós nos amamos ou não nos amamos, e nem todas as flores do mundo vão fazer a diferença. ”

Além disso, Follett traz uma infinidade de detalhes sobre a vida em um constante campo de batalhas, fazendo com que, durante a leitura, ficasse cada vez mais imersa em todo o contexto. Vale lembrar que há uma enorme riqueza na forma como o autor insere os fatos históricos, dando aquela sensação de propriedade sobre o assunto. Ao longo da leitura, vamos sendo colocados na época vivenciada pelos personagens e é muito interessante a sensação de se ver em outro contexto histórico, tão diferente do seu.
Com narração em terceira pessoa, Ken escreveu um livro tanto para jovens quanto para adultos. Uma ficção envolvente, marcada de acontecimentos de tirar o fôlego, sob perspectivas de diferentes personagens com personalidades diversas, o que nos dá impulso para a leitura, instigando nossa imaginação e aumentando a curiosidade para a descoberta do tão esperado desfecho final.







13 Comentários

  1. Oi, tudo bem?
    Segunda Guerra Mundial, uma trama cheia de ação e mistérios, conflito entre aliados e nazistas e o foco nos espiões. A Esfinge foi a figura que mais me encantou no livro pois enriquece a história de mistério.

    ResponderExcluir
  2. oii, tudo bem?
    Ainda não li nada do Follett (que vergonha, rs), mas tenho muita vontade por conta dos elogios que ouço. Adorei saber que essa obra é ambientada em meio a uma guerra, gosto da temática, ainda mais por conter fatos históricos.
    Não curto livros em terceira pessoa, mas na resenha pude ver o quanto você gostou da obra e isso me deixa bem animada.
    Espero poder ler em breve.

    ResponderExcluir
  3. Oiii Aline tudo bem?
    Fiquei bastante interessaada em realizar a leitura desse livro,quando se fala que o cenário é na guerra eu já fico muitíssimo animada para ler e me aventurar, ótima resenha e dica anotada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    O único livro que li de Follet foi O Buraco da Agulha que já foi motivo pra eu deixar o nome do escritor na lista de autores para se ler.
    Gostei da premissa desse e qualquer coisa que envolve o nazismo já me interessa. Vai para listinha, obrigada pela dica!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Tenho muita vontade e curiosidade de pegar um livro do Ken Follett pra ler, mas acabo deixando de lado primeiro por causas das parcerias e também pelos temas que ele abordam e me parece ser uma leitura mais técnica e mais arrastada.
    Espero poder conferir em breve pois vejo também bastante elogios.
    Fico contente que sua primeira experiência tenha sido positiva.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  6. Eu amo os livros do autor e estou bem curiosa com esse. Gostei muito de conhecer mais sobre a obra e me parece ser um livro e tanto, bem do jeito que eu gosto. Espero que eu lia em breve, fiquei ainda mais curiosa depois de ler a sua resenha.

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li nada desse autor, mas toda vez que vejo essa capa tenho vontade de levar o livro pra casa, embora até ler seu post não tivesse ideia do que a história tratava. Agora fiquei com mais vontade de ler ainda!
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Estou DOIDA para conhecer as histórias do autor e cada vez mais vendo elogios, vejo que tenho que me render. Adorei demais o que podemos esperar de A Chave de Rebecca e tenho altas expectativas, até mesmo por causa do tema. Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Aline, acho incrível como o autor consegue montar um enredo detalhado sem ser cansativo, fora que suas resoluções sempre nos surpreende.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  10. Olá tudo bem?
    Eu nunca li nada do autor até hoje e tenho muita curiosidade. Esse livro já tinha me chamado atenção mas confesso que fiquei preocupada quando você disse sobre a forma como ele colocou vários personagens ao mesmo tempo na história. Acho que também ficaria perdida. O bom é que você não deixou esse fato ditar sua avaliação e isso me despertou o interesse. Acho que vou dar uma chance a obra.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu nunca li nada do autor, mas sempre vejo todo mundo falando super bem que morro de vontade, além de que a trama desse em particular chamou bastante a minha atenção. Adorei poder conferir a sua resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Oi! Amo livros que tenham a segunda guerra como pano de fundo. Costumam trazer boas reflexões e boas histórias, enbora com uma pitada de sangue, suor e sofrimento. Esse livro já está na minha lista Dedé que a Arqueiro anunciou o lançamento. Quero muito!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  13. Oi Aline, sua linda, tudo bem?
    Sou louca para ler esse autor, ele traz um embasamento histórico em suas obras fantástico. Ainda não tive a oportunidade. Esse que tem na trama personagens que são espiões deve dar mais tensão. Dica mais do que anotada. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir