Título: Bom dia, Verônica
Autora: Andrea Killmore
Ano: 2016
Editora: DarkSideBooks
Gênero: Romance Policial, suspense, mistério (Literatura Brasileira)
Revisão: Retina conteúdo
Número de páginas: 256
Skoob: Adicione
Compre : Amazon
Cortesia: Livro cedido em parceria com a DarkSide® #DarkLove.


Sinopse; Em "Bom dia, Verônica", acompanhamos a secretária da polícia Verônica Torres, que, na mesma semana, presencia de forma chocante o suicídio de uma jovem e recebe uma ligação anônima de uma mulher desesperada clamando por sua vida. Com sua habilidade e sua determinação, ela vê a oportunidade que sempre quis para mostrar sua competência investigativa e decide mergulhar sozinha nos dois casos. No entanto, essas investigações teoricamente simples se tornam verdadeiros redemoinhos e colocam Verônica diante do lado mais sombrio do homem, em que um mundo perverso e irreal precisa ser confrontado. 
Andrea Killmore compõe thrillers como os grandes mestres, e sua experiência de vida confere uma autenticidade que poucas vezes encontramos em suspenses policiais, vibrante e cruel — como a realidade.


Bom Dia, Verônica é o romance de estreia da autora Andrea Killmore, que usa este pseudônimo para proteger sua identidade. Ela trabalhou na policia, e hoje precisa viver no anonimato. Desconhecida até pela editora, que mantém contato por advogados. Andrea killmore foi uma ótima surpresa e sacudiu nossa literatura no gênero policial, já li alguns e este ficou dentre meus favoritos. Viciante, visceral e cruel.

Nesta trama iremos conhecer Verônica Torres, em torno dos 38 anos, casada e com dois filhos. Trabalha como secretária na policia civil, braço direito do delegado Carvana no DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa) em São Paulo. Carvana mantém Verônica encostada nesta função e a deixa longe de qualquer investigação, alegava que não era apta por uma tentativa de suicídio do passado.


“A vida é assim: você faz cem coisas certas, mas os sacanas só se lembram de uma coisa errada. É injusto pra caramba, e injustiça dói na alma. Senti meu peito pesar. A onda de angustia que eu conhecia bem tentava sair pelas frestas mal costuradas do meu passado.”

“Nesse mundo de merda, cometer suicídio não deveria ser tão condenável.”

Mas em uma manhã aparece uma mulher no escritório de Carvana, Marta Campos, ela estava com uma aparência horrível, e depois de uma conversa com Carvana e trocar poucas palavras com Verônica se joga pela janela. Isso mexe com Verônica e ao ver que seu chefe não está nem aí, apenas pede para engavetar o caso, ela decide investigar. Mas enquanto ela começa sua investigação no caso Marta Campos, que caiu em um golpe, levou “boa noite, cinderela” de um malandro metido a galã. Verônica acaba se envolvendo em mais um mistério, recebe a ligação de Janete, que é casada com um policial e sofre violência domestica. Além deste relacionamento abusivo, Janete esconde outros segredos macabros de seu marido. Ao sermos apresentados a vida de Janete e seu marido Brandão, ficamos penalizados e irritados com a situação. Percebemos de imediato como seu marido é assustador e violento. E quando descobrimos o que ele faz com a esposa e outras mulheres é de arrepiar.

Verônica é a aquela personagem atrevida, corajosa, que não tem medo de dar à cara a tapa. Joga-se mesmo. Ela me lembra muito outras duas personagens que amo Carrie, de Homeland e Amanda Clarke, de Revenge, a sagacidade, inteligência. E mesmo quando tudo parece ir por água abaixo, ela levanta e dá um jeito. Mas claro que nem sempre as coisas saem como o esperado, e acontecem alguns desastres. Pois é teimosa, e quer resolver tudo do seu jeito. Além de ter que lidar com dois casos muito sérios, que envolvem necrofilia, tortura, sequestro e assassinato. Verônica tem que lidar com os problemas da vida pessoal, pois é esposa e mãe, e é cobrada por isso. E seu comportamento é julgado como inapropriado para sua posição, pois Verônica não é a esposa ou mãe de comercial de margarina. Não, não. É apenas uma mulher tentando encontrar seu lugar no mundo, encaixando todas as áreas de sua vida, e sabemos como isso é difícil.

“Uma tesoura? Bisturis sendo afiados? Facas? Cada Golpe silencioso é seguido por gritos guturais de Deusa. Janete sabe que vai passar a noite toda dando forma e cor aos berros da coitada. É uma intrusa na dor dela.” (pág. 63)

Bom Dia, Verônica é um romance policial, com um thriller psicológico vibrante, e cheio de mistérios. Ficamos com o coração na mão em vários momentos. Temendo pela vida de alguns personagens. Quando você pensa que está indo no caminho, acontece uma reviravolta e você leva aquele susto. (toda vez que Verônica achava que estava sendo observada eu já ficava nervosa. Haha). Além de uma escrita envolvente, tem uma descrição de cenas muito reais, você visualiza tudo, e isso pode ser bem perturbador. Teremos algumas cenas bizarras e muito interessantes. O desenrolar da trama é muito boa, e os assuntos abordados muito atuais e que dar ótimas discussões, como violência doméstica, machismo, o comportamento de alguns policias, traição, necrofilia, feminicídio, infanticídio indígena entre outras questões que te levam a refletir. Quem é você e qual é sua participação neste mundo em meio a tantas situações absurdas que acontecem ao seu redor. Vivemos impotentes, cansados ou acomodados?

Uma história super recomendada para os fãs de um bom suspense policial, horas de diversão e muita adrenalina. Com personagens humanos, cheio de qualidades e defeitos, e alguns cruéis e doentes. Foi espetacular conhecer Verônica e Janete apesar das circunstancias que viviam. E espero conhecer muitos personagens da maravilhosa Andrea Killmore.
 Aaaah, mais uma dica, ouçam a música citada no livro (Acalanto para Helena, de Chico Buarque). Trilha sonora do tormento de Janete. :) 

“É tão macabro que chega a ser bonito.” (pág.109)

Narrado em primeira pessoa pela Verônica, dividindo alguns capítulos com Janete em 3ª pessoa. Livro de capa dura, fonte em tamanho agradável, Diagramação ótima. Edição linda e com ilustrações que fazem todo sentido com a obra. Acompanha marcador de fita cetim na cor roxa.

“Andrea Killmore sabe como pode ser perturbador mergulhar na mente de um assassino.” (Ilana Casoy, criminóloga e especialista em Serial Killers)










10 Comentários

  1. Gente, como não amar essas publicações da Darkside né?
    Bem, vamos lá... não sabia que esse livro era de autor nacional, amo thrillers psicológicos, já namorei a capa desse várias vezes, mas sempre tive aquela sensação de que é um livro de possessão e essas coisas, então nem perdi tempo lendo a sinopse, que vacilo né? Amei a resenha, espero ter a oportunidade de conhecer essa trama tbm.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Mais uma das obras da DarkSide que entra para minha lista de desejados!!
    Já de inicio fico bem intrigada com o fato de a própria autora ser desconhecida e que o contato com a editora é feito por advogados! Muito mistério e ainda vem essa obra sendo um thriller psicológico muito bem estruturado!! Preciso fazer essa leitura urgente!

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. P R E C I S O DESSEEE LIVROOOOOOOOO =0
    Adorei a resenhaaa! Beijão

    Maju Raz
    www.sociedadedolivrorp.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, estava curiosa para saber mais sobre esse livro, obrigada pela resenha. Parece uma trama bem pesada, mas interessante e que provavelmente prende o leitor até ele descobrir o desfecho.

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Eu já namorava esse livro desde o lançamento, agora depois de ler sua resenha preciso desse livro para ontem.
    Adoro mistério policial, e esse suspense todo só me deixa ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir
  6. Oii Ana, tudo bem? Gostei muito da sua resenha, bem completa. Se eu já queria ler esse livro, agora minha vontade triplicou. Espero de verdade ler esse ano e gostar bastante também :D
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. que fotos lindas, queria ter essa criatividade. Adoro romances policiais, ainda mais esse que parece nos reservar momentos muito tensos, pelo que vi na sua resenha. Sua resenha me trouxe a impressão de um bom clássico em vista, e já anotei a dica.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Ana! Realmente não conhecia nem o livro e nem a autora. Pode ser uma leitura interessante quando eu estiver com o interesse em histórias policiais. Obrigada pela dica e pela resenha bem detalhada do que podemos encontrar no livro! Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Oi
    gente que mistério! Já me ganhou só na informação que nem a editora conhece a autora, fiquei aqui pensando em mil possibilidades para isso! Eu vi esse livro na Amazon, muitas vezes em promoção relâmpago, mas não parei para ver mais ou já teria comprado! Adorei conhecer mais e fiquei interessada, gosto de Thriller policial e falta uma protagonista feminina nesse meio!

    Talita - Viciados em Leitura

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana, sua linda, tudo bem?
    Estou louca por esse livro assim que vi o lançamento no site da editora justamente pelo mistério que envolve a autora. Não deve ser fácil a vida dela. Fiquei muito curiosa para descobrir porque essa mulher se matou. E acho que ficarei com medo quando você disse que dá para sentir quando a personagem acredita estar sendo observada. Ah!!! Não sei mais se quero saber o que tem nessa caixa, acho que não vou gostar, risos.... Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir