Título: Amaldiçoado (O Pacto)
Autor: Joe Hill
Ano: 2010
Editora: Arqueiro
Número de páginas:320
Skoob: Adicione


Sinopse: Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Além disso, descobre algo assustador: ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, como seria de esperar. Em vez disso, entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis. Um médico, o padre, seus pais e até sua querida avó, ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade. Até agora. Sozinho, sem ter aonde ir ou a quem recorrer, Ig vai descobrir que, quando as pessoas que você ama lhe viram as costas e sua vida se torna um inferno, ser o diabo não é tão mau assim.

Olá, e hoje tem resenha especial, se tornou especial, pois é mais um autor que me conquistou e entrou na lista de meus favoritos. Este é o primeiro romance que leio de Joe Hill (Filho do autor Stephen King) que também amo. Gostei tanto do livro que já estou lendo outro livro do autor, A Estrada da Noite, e Nosferatu já está na fila também.


Nesta trama vamos conhecer a história de Ignatius Perrish, mas todos chamam por Ig. Ig é um jovem bom, amigo e muito simpático que me conquistou de cara. Que ainda criança se apaixona por Merrin e ficam juntos até tornare-se adultos. Mas acontece algo horrível com Merrin, ela é estuprada e assassinada. Ig se torna o principal suspeito. Mas consegue se livrar da prisão pela influencia da sua família que é muito rica. Mas toda a cidade o odeia e o chama de monstro, ficam o hostilizando, desejando sua morte. A vida de Ig não é fácil e vamos acompanhando todo seu sofrimento. Um ano se passa e depois de uma bebedeira Ig acorda com chifres. Ele fica logo desesperado e não entende o que está acontecendo. Mas o mais estranho do que ter os chifres, é o fato de as pessoas olharem e nem se importarem, é como se fosse algo comum. E para piorar as pessoas começam a contar coisas intimas, seus pecados ,desejos mais pervertidos e obscuros. É como se Ig despertasse o pior nas pessoas. E para ficar mais horrendo, se tocar em alguém ele consegue ver tudo que aquela pessoa fez.

“As pessoas não param de me contar coisas pavorosas. Ficam dizendo o que gostariam de fazer, coisas que ninguém jamais admitiria.”

Talvez fosse interessante saber o que as pessoas pensam, principalmente ao seu respeito. Mas Ig nos prova que não tem nada de legal. À medida que as pessoas começam a confidenciar coisas, Ig se aproxima de descobrir o assassino de sua amada. Mas até lá, ele vai passar por um inferno na sua cidade.

Confesso que achei sensacional e assustador as confissões que Ig recebeu de alguns moradores da sua cidade. Ele acaba passando por situações bizarras, como um médico que tem desejo pela amiga da filha e fala o que quer fazer com a menina. Tem uma criança que quer colocar fogo na mãe, um amigo que quer lhe matar. Entre outras coisas sinistras. A partir do momento que Ig vai se aproximando das pessoas e desvendando coisas horríveis, vai chegando o momento de ele encontrar-se com a família, e isto me deixou muito aflita, pois fiquei com muito medo do que ele ia ouvir e descobrir neste encontro. E foi pior do que eu pensava, sofri muito com Ig, e odiei todos por ele.
“A ideia de que iria morrer trouxe uma onda de alívio, uma sensação física, como a de subir para respirar depois de ficar submerso por muito tempo. Ig quase se afogou uma vez e, na infância, sofrera de asma. Para ele, contentamento era simplesmente ser capaz de respirar.” (pág. 9)

Joe foi incrível na construção deste romance, pois ele mexeu com a mente humana. Existe algo mais assustador. Descobrir do que as pessoas são capazes. Todos têm um lado mau e bom? Pois o autor vai fundo e nos mostra um lado bem oculto, os segredos mais profundos que ninguém teria coragem de expor.

Outro ponto positivo do livro foram os personagens bem caracterizados, Gostei muito do Ig, da Merrin. Mesmo a vida do Ig sendo muito triste, o rapaz sofre demais. Pois, como um cara do bem passa por tudo isso? Uma das reflexões do livro. Outro personagem que gostei muito foi da Glenna, amiga de infância do Ig , que terá um envolvimento com ele, e é a quele tipo de pessoa que não se valoriza, sabota a si mesmo. O seu amigo Lee e seu irmão Terry também serão muito importantes na trama e são personagens bem desenvolvidos. Além de todo esse terror psicológico, Joe cria uma mente mais perturbada ainda, a de um sociopata, este personagem (que não direi o nome) vai dá medo só por sua frieza ao realizar certas coisas. Ele faz sem um pingo de culpa, e terá cenas fortes com ele. 

“Não o julgaria se você se matasse. Na maioria dos dias, quando chega a hora do almoço, já estou pronta para me matar. Odeio a maneira como as pessoas olham para mim. As piadas sobre lesbianismo que fazem pelas minhas costas."

Adorei esta capa, achei muito bonita. A edição tem orelhas, folhas amarelas, fonte agradável. A leitura foi fácil e emocionante para mim. Narrado em terceira pessoa, ela é pesada em alguns momentos, pelo comportamento de alguns personagens. Mas ao mesmo tempo tinha uma pitada de humor. Algumas situações eram tão bizarras, que se tornava cômico. Gostei da forma que o tempo do livro foi escrito. Pois além de mostrar o presente, também mostrava através de flashback o passado dos personagens, e isto ajudou a conhecermos melhor cada personagem e entender como era a relação de Ig com as pessoas.

Uma história envolvente com suspense, mistério, drama, romance, humor, com realismo e sobrenatural. Pois a partir do momento que ele recebe as pessoas sem filtro, ele nos faz refletir, e também nos faz duvidar se cada um não tem um “diabo” dentro de si. Pessoas que mente para prejudicar o outro por pura maldade. Pessoas que sentem inveja do outro a ponto de fazer mal, pessoas que querem se machucar, pessoas que traem. Pessoas com comportamento exemplar e pensamentos perversos. Joe nos apresenta o bem e o mal, e que eles podem andar juntos. E em algum momento um deles podem se destacar. E realmente, a frase que diz quem vê cara, não vê coração, se encaixa perfeitamente neste livro. A verdade é que não conhecemos ninguém. E algumas pessoas assustam mais que muitos demônios.
 
“ Estou com medo. Não sei o que está acontecendo comigo”


“Ig riu ao ouvir isso. As coisas que as pessoas falam. A facilidade com que mentem, para os outros, para sim mesmas.”














13 Comentários

  1. Eu também gostei muito de ler esse livro. Claro que não mais do que Nosferatu. O que mais me agradou em Amaldiçoado foi o desenvolvimento do sociopata. Eu realmente gosto de personagens assim. Eles são complexos, tem muita escuridão, mas conseguem se manter com aparência de boas pessoas por muito tempo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ana Lícia
    Eu li esse livro há muito tempo, em 2011, se eu não estou enganado, então não lembro quase nada da história. O título era ainda 'O Pacto' e minha versão é com a capa original (bem mais bonita, na minha opinião). Mas, me recordo de uma coisa: realmente é bizarro kkk Joe Hill é um autor muito inteligente e cria ótimas tramas. Preciso ler as outras obras dele. Já assistiu ao filme? Eu quero reler antes de vê-lo.
    Eu, definitivamente, não gostaria de acordar com um par de chifres que faria com que as pessoas confessassem seus piores segredos.

    Beijo,
    João Victor - De cabeça para baixo | All POP Stuff

    ResponderExcluir
  3. Oi, nunca li nenhum livro do autor Stephen King, mas ouço muitos elogias dele, mas não sabia que ele tinha um filho que também é autor. Bom, eu quero lê esse livro, o fato de acontecer uma grande reviravolta na vida do personagem me deixou curiosa, principalmente em relação a como ele vai lhe dá com tantos segredos e os chifres haha

    http://mysecretworldbells.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá.
    Ainda não li Joe Hill T_T tenho um livro dele nas minhas metas desse ano.
    Já assisti o filme baseado nesse livro, e gostei bastante, isso quer dizer que vou amar o livro.
    Deve ser horrível ouvir as verdades que os outros pensam sobre nós, e até mesmo as pessoas mais boazinhas do mundo pode pensar algo que não queremos sobre nós, já pensou aquele amigo gatinho, mas que é só amigo, ou namorado de alguma amiga, ficar sabendo o que realmente pesamos dele, deve ser constrangedor.
    Beijos

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi!

    Ainda não li o livro e nem assisti o filme, ao olhar a capa confesso achar que era apenas terror (evito ver ou ler terro), mas o fato de Ig descobri o verdadeiro assassino nos remete ao suspense. Fiquei triste por saber, o que não é muito diferente da vida real, que as pessoas que ele mais ama (como o irmão) guardava segredos tão importantes que poderia salva-lo de uma possível prisão e tira-lo do julgamento da comunidade. Enfim, assistirei primeiro o filme, gostando vou partir para o livro. Obrigada pela dica.:) Beijos...

    ResponderExcluir
  6. Joe Hill é um dos meus autores favoritos, já li todos os livros dele e estou ansiosíssima pra o próximo! Mas te falar que O Pacto (nome traduzido original desse livro) é um dos meus favoritos dele. O filme é bem fraco (como sempre, rs), ele infelizmente não passa toda a profundidade da estória.
    A Casa da Árvore da Mente virou quase uma ideologia para mim. Gosto muito mesmo desse livro.
    Já leste Fantasmas do Século XX? É um compilados de contos do Hill, é meu segundo livro favorito dele, pois tem várias estórias fantásticas, além de referências muito inteligentes.

    Abraço,
    http://magoevidro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Tava lendo a resenha com mó sofrencia pelo IG e de repente começo a rir sem parar.
    O motivo? "que não direi o nome"
    Pensei: Aquele que não se deve nomear.

    HAHAHHA esse deve ser perigoso mesmo!!! :P

    Beijos, Thay Rocha
    www.leitoranamoda.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Já me disseram que o filho do King super puxou o pai, preciso ler este livro para tirar a minha própria opinião.
    Eu gosto quando o autor trabalha bem os seus personagens e conseguem ir bem fundo na mente humana.
    Parabéns pela resenha.
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Hello!
    Ohhh sacanagem! Mudaram o título do livro! (Mas essa capa do filme ficou muito divosa, tenho que dizer <3)
    Li O pacto a alguns anos e sou apaixonada por esse livro. Guardo ele com todo amor! A história do Ig é fodástica, cheia de drama, mistério e ainda algumas tiradas sarcásticas e engraçadas (vide ele vestido de mulher, praticamente kkkkk).
    Bj

    ResponderExcluir
  10. Nunca li nada do Joe Hill, mas tenho muita curiosidade, pois ouço e leio muitos elogios à sua escrita. Claro que rola um certo medinho, mas vou encarar. Essa capa é muito sinistra, mas bonita e impactante. Achei interessante a sua reflexão, acho mesmo que cada um de nós traz dentro de si um lado sombrio. Ótima resenha!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  11. Oie!
    Eu não cheguei a ler o livro, mas vi o filme e gostei bastante, então é provável que eu vai gostar ainda mais do livro. Eu não sabia que o Joe Hill era filho do King, adorei saber disso.

    luadeneon.com

    ResponderExcluir
  12. Oie
    eu ja vi o filme mas queria muito ler o livro, adoro esse gênero e gostei bastante do filme, principalmente pelo ator né hahaha ótima resenha e dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir