Título: O Que Me Faz Pular
Autor: Naoki Higashida
Ano: 2014
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 192
Skoob: Adicione


Sinopse: Naoki Higashida sofre de autismo severo. Com grande dificuldade de se comunicar verbalmente, o jovem aprendeu a se expressar apontando as letras em uma cartela de papelão, e, aos treze anos, realizou um feito extraordinário: escreveu um livro. Delicado, poético e profundamente íntimo, O que me faz pular traz uma nova luz para entendermos a mente autista. O jovem explica o comportamento muitas vezes desconcertante das pessoas com autismo e compartilha conosco suas percepções de tempo, vida, beleza e natureza, apresentadas em um relato e um conto inesquecível.


Olá, tudo bem? Espero que sim. Hoje venho falar de um livro maravilhoso, que já vou indicando desde agora. Leia, leia e leia O Que Me Faz Pular. Foi um dos melhores do ano até agora. Magnífico.

Acredito que muitos de vocês já ouviram falar em autismo. E alguns devem até conhecer alguém autista, um parente, um amigo... etc. Ou já ouviu falar no assunto por alto. E isso é bom. Mas também tem muitas pessoas que não conhecem e deveriam. Até mesmo para saber como é a vida de um autista e conhecer suas necessidades. E assim facilitar seu convívio na sociedade.

“O autor deste livro, de treze anos convida você, leitor, a imaginar uma vida cotidiana em que sua capacidade de falar lhe seja tirada. Explicar que você está cansado, com fome ou dor está tão além dos seus limites quanto conversar com um amigo.” (Pág. 7)


Neste livro teremos uma narração incrível, escrita pelo Naoki, um menino autista de 13 anos. Onde ele nos conta todas suas aflições, seu comportamento, seus sentimentos. E nos tira várias dúvidas sobre o autismo. Uma das maiores dificuldade de Naoki é a comunicação, socialização. Sua mãe junto com sua professora conseguiram um método de comunicação por escrito para Naoki . E assim fomos privilegiados com este maravilhoso livro.

“Não conseguir falar significa não compartilhar o que a gente sente e pensa. É como ser um boneco que passa a vida toda em isolamento, sem sonhos ou esperanças.” (pág. 27)


“Quando minha voz estranha é acionada, é quase impossível de segurar, e se eu tento é doloroso, quase como se eu estrangulasse minha própria garganta. Eu ficaria bem com esta voz se eu estivesse sozinho, mas tenho consciência de que ela incomoda outras pessoas. Quantas vezes os sons estranhos que saem da minha boca não me deixaram morrendo de vergonha? Honestamente, também queria ser bom, calmo e quieto! Mas, mesmo que nos mandem fechar a boca e ficar quieto, nós simplesmente não sabemos como. Sinto que nossas vozes são como nossa respiração: apenas saem de nossas bocas de forma inconsciente.” (pág. 30)



Um livro curto, tocante e lindo. Tão bem escrito, e cheio de esperança e amor. Confesso que fiquei tocada em vários momentos. Naoki tem uma sensibilidade, e uma força que contagia. E como podem perceber marquei muito o livro, pois tem frases maravilhosas.

O livro é dividido em 58 perguntas, e Naoki vai respondendo cada uma de maneira simples e especial. E ainda temos delicioso conto chamado Estou Bem Aqui. Que ao terminarmos de ler, ficamos com um nó na garganta, Pois cada palavra passa uma verdade, um pedido de socorro, compreensão, carinho. O livro todo é assim, um pedido de entendimento, respeito e atenção.


 “Mas, quando pulo, é como se meus sentimentos rumassem em direção ao céu. Na verdade, minha necessidade de ser engolido pela imensidão lá em cima é suficiente para estremecer meu coração. Quando estou pulando, posso sentir melhor as partes de meu corpo – as pernas saltando, as mãos batendo -, e isso me faz muito, muito bem” (pág. 87)

“Para completar, vivemos sendo repreendidos e não podemos nem nos explicar. Eu me sentia abandonado pelo mundo inteiro” (pág. 48)




O livro tem uma edição linda, têm ilustrações, folhas amarelas e capa com orelhas. Uma leitura rápida e gostosa. E recomendado para todos, pois é uma ótima oportunidade de saber mais sobre o autismo, e assim, respeitar suas necessidades. Um livro maravilhoso, tocante e muito especial, que com certeza seria de grande utilidade para educadores e pais. Recomendo fortemente para todos. <3 

“Para os autistas, viver é uma batalha sem trégua.” (pág.150)





7 Comentários

  1. Oi, Ana!
    No ano passado, eu tive a oportunidade de conviver com uma criança autista. Não é fácil para eles a convivência com o mundo porque eles veem de um jeito completamente diferente, mas esse menino é um amor de pessoa.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maravilha! O que eles precisam é serem entendidos e carinho. E muita paciência. E através da leitura nós conseguimos um pouco mais de entendimento. <3

      Excluir
  2. Caraca, que lindo! A melhor indicação literária da semana, tive um aluno com autismo e sei que não é fácil a interação, desconstruir o estigma social enraizado há séculos pela cultura judaico-cristã. Não sei se foi sua resenha, a sinopse ou a apresentação do autor, mas preciso conhecer a obra...

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?

    Fico tãaaao feliz que a literatura esteja abarcando esses tipos de tema, que envolvem doenças que, para muitos, são incompreendidas. Com certeza, quero ler esse livro e conhecer mais do autor, especialmente porque me identifiquei em alguns pontos. Ele parece super querido e sensível <3
    Gostei demais das páginas em desenho e, especialmente, da capa (coisa marliiiinda!).

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ana, eu tive um aluno autistas. Nossa é tocante e ao mesmo assustador, pois como você falou, tem a questão da comunicação, que dependendo do grau é muito sensível. São tantas questões que a gente precisa intender, mas que o mais importante é a aceitação.
    Deve ser um livro lindo. Vou comprar com certeza, pois é sempre ótimo termos mais aprendizado.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oiiiii
    Li o livro esse ano também e realmente é muito bonito e interessante, adorei sua resenha e fico feliz que tenha gostado como eu.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  6. Olá! Nunca li uma obra parecida, que representasse tão bem a realidade. E fiquei ainda mais ansiosa para conhecer a obra quando vi que se tratava se uma história real, de um menino clamando para ser compreendido. Quando não temos convívio diário com o autismo, muitas vezes não damos a devida atenção para o assunto. Tenho certeza de que esta é uma leitura surpreendente e que encanta a todos. Espero poder realizá-la em breve!

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir