Título: A Rainha Vermelha
Autora: Victoria Aveyard
Ano: 2015
Editora: Seguinte
Número de páginas: 424
Skoob: Adicione




A Rainha Vermelha - O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.




Olá, leitores.

Hoje vou falar de um livro que começa conquistando pela capa, pois amei esta coroa com sangue, é realmente linda . Mas ao mesmo tempo é um livro que está divergindo opiniões no meio literário. Uns amam e outros acham apenas legal. E agora vamos ver o que eu achei. :D


A Rainha Vermelha se passa em um futuro (que no momento não está claro que época é esta, que futuro é esse, então vamos classificar como meio distópico/fantasia, ok.) onde o governo é uma monarquia. Governado por Reis e Rainhas. Temos a nossa protagonista que é a Mare. Mare Barrow tem 17 anos  e é uma vermelha. Por quê? Porque nesta sociedade há dois tipos de pessoas. Os prateados e Vermelhos. Os prateados, são os que possuem sangue prata e são a elite, nobreza, os poderosos, conseguem fazer coisas especiais, como mover água, ler pensamento, atear fogo em coisas e etc. (tipo X-men). São privilegiados. Os de sangue vermelhos são os pobres, favelados que são tratados como nada, nasceram para servir e sofrer na mão dos prateados. Além das desigualdades sociais  e injustiças que os vermelhos passam. Quando completam 18 anos são recrutados para guerra, homens e mulheres, e Mare já teme por isso, pois está chegando perto de completar seus 18.
Como já citei, Mare é vermelha, e vive no limite com a família, seu pai, mãe e irmã chamada Gisa. Ela tem mais 3 irmãos, mas foram mandados para guerra. Na casa de Mare, apenas a irmã Gisa trabalha, e consegue amenizar um pouquinho a situação da família. Mare não faz nada além roubar as pessoas pelas ruas de seu vilarejo. É uma sociedade cruel, onde não tem emprego, saúde ou educação para os vermelhos. 


“Esta é a verdadeira distinção entre prateados e vermelhos: a cor do sangue. Esta única diferença os torna mais fortes, mais inteligentes e melhores que nós.” (pág. 14)

A vida de Mare muda e de toda sua família, quando ela vai parar no palácio (não vou dizer como) e está tendo uma seleção, estão escolhendo a princesa e a Rainha para os príncipes herdeiros.  Nesta seleção as lindas jovens prateadas têm que mostrar seu poder, a mais habilidosa/forte, vence. Mare está por lá vendo tudo, quando de repente acontece algo e ela acaba mostrando que também tem poderes. Xiii. Como assim, Ana? Vermelha com poderes? Pois é. E é isso que ninguém entende, nem mesmo a Mare. O Rei e a Rainha a prendem no palácio. Pois ela pode se tornar uma ameaça. Os vermelhos e nem prateados podem saber disso. Pois pode abalar o governo e a opressão que existe em cima do povo vermelho. Agora Mare está presa no palácio rodeada de prateados poderosos e perigosos, que podem a matar a qualquer momento. Ela vai ter que se submeter as regras da Rainha que não é nada simpática. E ainda tentar descobrir em quem pode confiar.
“Só que isto não é um conto de fadas, nem mesmo um sonho. É um pesadelo. Vou passar o resto da vida presa, forçada a ser outra pessoa. Forçada a ser um deles. Um fantoche. Um espetáculo para manter o povo feliz, quieto e oprimido.” (pág. 95)


Terminei de ler este livro hoje. Comecei ontem. Ele faz parte da leitura do mês de agosto do clube do livro que participo. E fiz esta leitura com algumas amigas. Onde algumas amaram, e outras gostaram, mas sentiram o mesmo que eu. Enquanto lia, pensava, já vi isto antes. E isso não aconteceu só uma vez, e sim em vários momentos. Gostei da leitura. Mas teve algumas coisas que me incomodou bastante, fazendo que não fosse um dos melhores livros do ano. Qual foi o problema, Ana. Você ama distopias. Esse foi o problema. Amar distopias. Como já li algumas, acabei encontrando um pedacinho de cada uma no livro. Algumas semelhanças foram bem reais para mim, e não deu para ignorar. E não foi só referências de livros distópicos, entrou algumas fantasias também. Mas tirando essa parte. O livro é bom, você lê rápido, uma escrita gostosa e fluida. Li em dois dias.

A Mare parece ser super esperta no inicio, pois é ladra, e vive fugindo e é rápida. Então você imagina logo. Opa, essa vai ser porreta. Engano, pois ela fica lerda com o tempo, e fica oscilando. Com uma ingenuidade incrível. Que não combina muito com o que é passado no inicio da leitura. Tem um leve romance também na trama. Alguns podem chamar até de triangulo amoroso. Mas não chegou a tanto. Isso foi bom, pois não teve muito foco no romance e sim nos problemas enfrentado pela Mare no palácio. Sobre os outros personagens, gostei de alguns, como Cal, Lucas e Julian. E claro, odiei fortemente outros.

A Rainha Vermelha tem uma trama envolvente, com reviravoltas. Apesar de eu não ter tido nenhuma surpresa, pois fui deduzindo e acertando as coisas durante a leitura. Eu super recomendo, pois diferente de mim, algumas amigas amaram e receberam aquele gostoso tapa, que o leitor recebe às vezes quando é surpreendido pela autora em uma reviravolta.(Pena que não aconteceu comigo). Então, de repente pode ocorrer com vocês. Principalmente para quem lê poucas distopias, principalmente às "famosinhas".

Um livro com traição, coragem e força de vontade, tem bastante ação. Mesmo a Mare não me conquistando neste primeiro volume, tenho esperança dela fazer isso no segundo.
Mare por Mareena, a ladra pela coroa, trapos pela seda, vermelho por prateado. Esta manhã eu era criada; à noite sou princesa. O que mais mudará?” (pág. 115)


Quanto à parte física do livro, A Seguinte arrasa como sempre. Capa linda, diagramação impecável (encontrei apenas uns dois errinhos de digitação) nada grave, apenas letrinhas salientes que sumiram do seu local; ainda falando em letras, o tamanho está ideal. Facilitando a leitura, tornando prazerosa e confortável.
Outro detalhe é o marcador de página que vem anexada na orelha do livro, só no ponto de você destacar. Amei esta ideia.




Agora quero saber de vocês? Já leram? Amaram? E as referências, acharam muitas? Haha

Quero muito que vocês leiam e saber a opinião de cada um.

Grande beijo e até mais.







20 Comentários

  1. Oi, Ana! :)

    Vejo esse livro por aí há algum tempo, mas nunca tinha lido uma resenha. Realmente, achei que a história lembra outras distópicas e, talvez, isso também me desanimaria um pouco. No entanto, achei interessante o fato de ela ser vermelha e ter poderes, fiquei imaginando todas as consequências que isso pode trazer à sociedade vigente. Mesmo que haja pontos negativos, fiquei super a fim de conferir. A capa é bastante atraente e me deixa curiosa. Adorei a resenha, me prendeu bastante! :)

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina.

      Leia sim, pois todo mundo está amando. E realmente é uma leitura gostosa e viciante . Tanto que gostei. Mas os recortes de outras histórias realmente não deu para passar e isso que me decepcionou. Sendo que até o final, eu vi em outro lugar. Mas, são coisas que nem todos vão perceber. :)

      beijos

      Excluir
  2. Uma pena que não gostou tanto. Eu ainda não li, apesar de estar na minha lista. Tomara mesmo que o próximo seja melhor.
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem?

      Eu até gostei, pois é daquelas leituras simples e rápida. Mas não foi sensacional. Pois não fui surpreendida em nada. Mas super recomendo, é aquele tipo de livro viciante, tipo A Seleção. você acaba gostando e não quer largar.

      Excluir
  3. Oi, já ouvi muito gente falando desse livro e vejo diversas opiniões sobre ele, mas mesmo assim, tenho muita vontade de lê-lo. Adorei sua resenha, ficou bem claro a proposta do livro
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thatyane.

      Eu também me contagiei com a empolgação da galera. Todo mundo comentando. Mas acredito que você vai gostar bastante.

      beijos

      Excluir
  4. Ana estou louca para ler esse livro que mistura Distopia com magia, sem contar os elogios a escrita da autora, sua resenha só me fez correr ainda mais para ler o livro, o fato de ter somente duas linhagem já nos apresenta bem o discriminação. Irei ler com certeza. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Joyce.

      Que bom. Espero que tenha uma boa leitura.

      beijos

      Excluir
  5. Oie Ana!!!
    concordo com você, da para ser conquistada facilmente com essa capa <3
    Achei o enredo interessantíssimo e bem diferente, tenho lido muitas criticas positivas do livro quero lê-lo assim que puder.
    aliás gostei muito de sua resenha ;)
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana!!
    Esse livro tá dando mesmo o que falar no meio literário.De início não me chamou muita a atenção,mas depois de tantos comentários vou dar uma chance pra ele.Meu medo é de ser meio que A Seleção,pelo menos alguns dos elementos que vi lembram muito né.Mas vamos ver o que vou achar :D
    Beijos!!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olaaa
    Achei o livro interessante pelos relógios que escutei mas não despertou tanta curiosidade para ler por enquanto, ótima resenha.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana...
    Eu quero muito ler este livro ainda. Mesmo você já tendo adivinhado algumas coisas, estou curiosa para fazer a leitura.
    Gostei de saber sua opinião. Espero que no segundo os personagens te conquistem mais.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ana!
    Sei exatamente o que você quer dizer, achei pedaço de A Seleção, Jogos Vorazes, Estilhaça-me, e se forçar um pouco até acha algo similar a Divergente nele. E esse "emburrecimento" da Mare me irritou durante a leitura, como ela não percebeu o que estava na cara dela! Apesar dos pesares, estou esperando pelo próximo.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Meu Deus! Alguém me entende. Haha. É exatamente isso. Eu não odiei o livro. Mas o retalho de obras incomodou bastante. E também aguardo o próximo. Haha. Quem sabe não melhora e ela copia menos. :D

      beijos

      Excluir
  10. Oi, ana não faz o meu genero, mas amei sua resenha seu post. beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Vi algumas resenhas comentando que esse livro seguia demais, no final das contas, uma fórmula já muito parecida com o que se vê por aí quando se trata de humanos superpoderosos, ainda que não tenha visto isso na sua resenha, o que já é um alívio - me faz pensar em dar uma chance para ele. Tem feito muito sucesso nos vlogs gringos que eu acompanho.

    Beijos,
    Miss Sorrisos Blog
    Twitter|Wattpad|Instagram


    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bom?
    Mesmo gostando bastante de distopias, eu me encantei com a história. Algumas coisas são realmente mais do mesmo no gênero, mas consegui ser surpreendida em vários momentos. Gostei muito dos antagonistas e de como a história terminou no ápice.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Todo mundo tem comentado demais esse livro. Eu realmente quero muito ler! Está na minha lista de leitura!

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Eu amei esse livro e sou fanática por distopias ;)

    ResponderExcluir
  15. Essa distopia é bem mais próxima da nossa realidade do que pode parecer rsrs. Não curto muito livros distópicos, apenas alguns poucos me conquistaram, mas quem sabe eu leia...
    Bjs, Isa
    http://pausaparaconversa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir