Título: A Metamorfose
Autor: Franz Kafka
Ano de publicação: 2003
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 96
Skoob: Adicione

Sinopse: A Metamorfose - A metamorfose é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. Sem a menor cerimônia, o texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante - o famoso Gregor Samsa - transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana - tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.


Olá, leitores.

 Hoje vamos falar de um clássico que está com seus 100 anos aí de publicação. E é famoso no mundo novo. A Metamorfose de Franz Kafka. Um livro com uma premissa absurda e realista.
“Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso. Estava deitado sobre costas duras como couraça e, ao levantar um pouco a cabeça, viu seu ventre abaulado, marrom, dividido por nervuras arqueadas, no topo do qual a coberta, prestes a deslizar de vez, ainda mal se sustinha. Suas numerosas pernas, lastimavelmente finas em comparação com o volume do resto do corpo, tremulavam desamparadas diante dos seus olhos” (pag. 7)
 

Gregor Samsa é um caixeiro-viajante, que mora com os pais, Senhor E Sra. Samsa e sua irmã Grete. Gregor que sustentava a família, trabalhava muito para sua família ter uma boa vida, onde não lhe faltasse nada. Era um homem quieto e apenas trabalhava ou ficava em casa. Quando Gregor em uma manhã acorda se metamorfoseado em um grande inseto monstruoso, sua vida se transforma completamente e da sua família também. O que mais impressiona, é que Gregor não se mostra preocupado, ou revoltado e até mesmo curioso com o que ocorre com ele. Como assim? Ele foi transformado em um inseto asqueroso. E Não está nem aí. A única preocupação dele é em levantar e ir ao trabalho. Mas claro que ele não consegue, pois ainda está tentando se acostumar com o novo corpo, ele sente uma enorme dificuldade para se levantar, com as novas perninhas fininhas.
Enquanto Gregor está perdido em seus pensamentos, seus pais e irmã estão batendo a porta, querendo saber por que ele ainda não levantou, pois ele nunca se atrasa, e muito menos falta ao trabalho. Com isso o gerente da firma também aparece para saber o que está acontecendo com Gregor. E se junta a família para pressioná-lo a abrir a porta. Gregor se vê sem saída quando o gerente começa a falar do trabalho, como não é bom ele faltar, que ele pode até perder o emprego. Com Isso Gregor se desespera e se esforça para abrir a porta. Falando o tempo todo muito rápido, mas um detalhe, sua linguagem é de inseto, não dá para compreendê-lo, mas ele entende tudo que é falado pelos demais.  Aí o grande momento que Gregor abre a porta, e todos olham o grande inseto.
Em nenhum momento Gregor se preocupa com o seu estado até então, a única preocupação é o bem estar da família, é ele ir trabalhar. Para ele é como se fosse um resfriado que já já passa. Pobre Gregor.

Confesso que fiquei penalizada algumas vezes e ao mesmo tempo chateada com Gregor e sua família. Em a metamorfose você pode tirar várias interpretações, que acontece até hoje. A partir do momento que Gregor está neste estado, ele não serve mais. Para firma e nem para a família. Pois ele que sustentava-os, e agora que ele não pode mais trabalhar, pois está preso no seu quarto. Virou um peso para sua família. Aí podemos trazer para os dias atuais, com o exemplo de uma pessoa que fica doente precisa faltar à empresa, logo a empresa olhará com maus olhos (claro que tem exceções). E o mesmo serve para uma família que tem um familiar doente, e que está preso em uma cama por dias, meses, só dando “trabalho”. Uma hora uns dos familiares cansam e querem se livrar daquele fardo. E podem até chegar a cogitar, melhor que descanse, mas no fundo ele quer a sua própria libertação. Um outro caso, quantos idosos doentes ,não são abandonados em asilos. Por se tornarem um fardo para a família. E assim vai. Kafka consegue fazer a gente enxergar em A Metamorfose, qual é o valor que temos para as pessoas, servimos pelo o que somos, ou pelo o que podemos oferecer. Você vale pelo o que é? Ou pelo o que têm?

E se um dia acontece algo absurdo na nossa vida, como ocorreu com Gregor. Quem ficará do nosso lado? Quem cuidará de nós? A Metamorfose pode ser uma doença, mas também um modo de libertação, dependendo do contexto.  Na família Samsa os papeis são invertidos, a família que sempre dependia de Gregor, agora é o Gregor que depende da família para tudo. E isso não vai ser fácil e nem gentil de se vê.  A vida segue para todos, e vai acontecendo alguns fatos impressionantes no desenvolvimento destes personagens. E o final é bem surpreendente e cabível. Pois retrata algo bem real. O valor das pessoas na nossa sociedade seja 100 anos atrás, ou agora.

Adorei minha edição, foi uma leitura rápida e fluida, o livro possui fonte agradável e páginas amarelas. Comprei por 15 (Quinze reais) na saraiva online.

Aah, tem adaptações cinematográficas baseada no livro. Achei duas no you tube.

Alguns momentos podem ser Kafkianos...

Beijos e até mais.













15 Comentários

  1. Quero muito ler esse clássico, acredito que me fará refletir sobre a vida, adorei sua resenha, bem completa.

    www.eucurtoliteratura.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii!

      Leiaaa. Eu coloquei uma meta para este ano, um a dois clássicos por mês. São incríveis. E estou amando.

      Beijos

      Excluir
  2. Oi, esse livro é perfeito, bem escrito, atemporal e sempre original... tenho ele aqui me casa, li há uns anos e estava pensando em colocar na coluna releituras... sua resenha ficou ótima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aah, Lilian, coloca mesmo nas suas releituras. Que quero conferir sua interpretação sobre o livro. :)

      beijos

      Excluir
  3. Olaaa
    Que bela indicação, não sou de ler clássicos mas quero muito começar e espero gostar, muito interessante a premissa desse, ótima resenha.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cath! Eu também não lia muitos clássicos. Mas comecei ano passado e gostei. Vou te dar uma dica. Leia A Revolução dos Bichos. É sensacional.

      beijos

      Excluir
  4. Eis um livro que vale cada linha. Adoro!
    Sua resenha ficou bem bacana.
    Minha versão do livro é mais antiga e adorei essa capa. Também super indico o livro. Como todo clássico, é atemporal.

    LETRAS COM CAFEÍNA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andreza. Que bom, achei legal descobrir outros leitores que também se encantam por Kafka. Eu quero ler O Processo.

      Beijos

      Excluir
  5. Oi, tudo bem?

    Já li um pedaço desse livro na escola, mas nunca me interessei por ele. Apesar de gostar muito de livros que me fazem refletir, ainda não tenho curiosidade de lê-lo. Quem sabe um dia.

    Sua reflexão acerca da história foi muito boa e inteligente. Acho que cada um pode interpretá-la de um modo e isso deve ser o mais legal do livro.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Eu já li outros livros do Kafka, mas curiosamente, não Metamorfose, o mais famoso de todos rsrs. Parece ser bem interessante, vou procurar ler, gosto bastante de histórias que passam alguma coisa.
    Bjs, Isabella
    http://pausaparaconversa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ola lindona a premissa do livro é bem interessante, imagina algo assim acontecer, simplesmente abala todo nosso mundo nos deixando impotente com relação a muitas situações. Dica mais que anotada. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  8. Olá!!!
    bom amei sua resenha! Metamorfose está na minha lista de leitura a eras kkk tenho amigos que são malucos pelo livro e pelo autor. Irei lê-lo com certeza só ainda não sei quando;)
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    adorei a resenha! O livro parece ser bem profundo e reflexivo. Enquanto ia lendo a resenha, associei a situação do protagonista com a dos idosos, e quando cheguei nas suas analogias, vi que também encaixa bem com pessoas que adoecem. Chega ser revoltante o quanto as pessoas ignoram seus parentes quando deixam de "ser úteis", e isso é muito real, atual e verdadeiro!
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oii
    Esse livro tem uma premissa muito boa, adorei o que você apresentou e a sua resenha está muito boa. Não sou uma pessoa que curte muito ler clássicos, por isso não tenho certeza se o leria, mas com certeza deveria.
    Parabens pela resenha novamente

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  11. Oie, tudo bom?
    Apesar de ser um clássico, nunca tinha lido nada sobre esse livro. Gostei bastante da proposta da narrativa por fazer uma analogia sobre algo que vemos atualmente, a falta de apoio as minorias. Muitas vezes, quando passamos por situações limite, é que conhecemos as verdadeiras pessoas que andam ao nosso lado.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir