Título: Eu estive aqui
Autora: Gayle Forman
Ano de publicação: 2015
Editora:Arqueiro
Número de paginas: 240
Skoob: Adicione


Sinopse: Eu Estive Aqui - Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.
Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.




Olá, leitores!


Eu estou de férias, então resolvi colocar mais livros na pilha de leitura do mês. Mas até agora estou sendo um fracasso. (Séries, filmes e preguiça, atrapalhando minha maratona de férias) Então, vamos para meu terceiro livro lido nestas férias, que foi Eu Estive Aqui da Gayle Forman. Um livro que gostei bastante. Pois li, Se Eu Ficar da autora e não gostei muito.




Bom, em Eu Estive Aqui, teremos a história de Cody, que recebe um e-mail de despedida da sua melhor amiga, que cometeu suicídio. Deixando Cody e  a família arrasados. Cody e Meg eram unha e carne, inseparáveis, melhores amigas. Daí a surpresa de Cody por não desconfiar de nada ou por a amiga nunca ter mencionado que estava com algum problema, que a levaria a querer morrer. Após o acontecido, os pais de Meg, pedem para ela ir a Tacoma, local onde Meg morava atualmente por causa da sua faculdade, para pegar suas coisas. Ao chegar lá, Cody conhece outros amigos de Meg. E conhece também Ben, que teve um “rolo” passageiro com Meg. Ok, de imediato Cody é rude com ele, pois tem uma má impressão dele. Por ele ter dispensado sua amiga. As coisas começam a pegar um ritmo bem misterioso, quando Cody  encontra uma pasta criptografada no notebook de Meg, e também depois de ler seus e-mails ela percebe que tem algo errado, que talvez Meg tenha sido induzida a cometer o suicídio. E assim com ajuda do próprio Ben e de outro amigo ela começa uma investigação, e começa a perceber que ela não conhecia Meg tão bem como ela imaginava.

Estou adiando esta decisão há muito tempo, ela escreveu em sua mensagem. Há muito tempo? Quanto? Semanas? Meses? Anos?  Eu conhecia Meg desde o jardim de infância. Éramos melhores amigas, quase irmãs. Por quanto ela adiou a decisão sem me contar? E o mais importante: por que ela não e contou? “ (pág. 13)


Até que ponto você conhece as pessoas? Será que nós realmente conhecemos nossos amigos, familiares? Neste livro você fica se questionando isso, pois Cody, ao chegar a Tacoma, vai chegar cheia de si, achando que é à única que conhecia Meg, e vai descobrindo, que existia outra Meg que ela nem se dava conta. E isso a magoou muito e me fez refleti também, que no fundo a gente nunca conhece as pessoas de verdade. Cody já carrega a tristeza e a dor do abandono de Meg, ela não se conforma da amiga ir embora assim, sem uma explicação. E isso está a matando aos poucos.

Outra questão que é bem abordada, e que achei muito bem construída é como que essa decisão de tirar sua vida, mexe com as pessoas ao seu redor. Meg acabou deixando vários machucados, ao tentar tirar sua dor. Deixou seus pais, um irmão, e sua melhor amiga. Que carrega a culpa e a raiva por ela ter lhe deixado. A Gayle mostra de um jeito sensível e claro como essa decisão pode ser considerada egoísta para os que ficam, e como as pessoas ficam se martirizando, pensando, será se tive culpa? Não dei a devida atenção? Será que irei perdoá-la e me perdoar?




É um livro bonito, triste, corajoso, com personagens cativantes, como o Ben e até mesmo a Cody, que foi me conquistando aos poucos, pois no inicio achava-a muito agressiva. Mas você vai à entendendo com o tempo. Cody tem uma vida difícil, trabalha como diarista em várias casas, mora com uma mãe super distante e que não lhe dá a mínima. E mesmo com tantos problemas, ela é corajosa o suficiente para continuar indo em frente.

Vejo que algumas pessoas estão chorando. Eu as fiz chorar. Me tornei um veneno. Se me beber, você morre. (pág. 50)


O livro é narrado em primeira pessoa, pela Cody. Esta edição é linda, amei a capa, tem tudo a ver com a história, assim como o título. Livro com orelhas, folhas amareladas, fonte agradável.  Uma ótima leitura, com assunto bem atual, que infelizmente nos assombra, a cada dia os números de suicídios são maiores, inclusive no Brasil. O livro também serve de alerta para outras questões que vocês irão descobrir no final da leitura.

Então é isso, pessoal. A Gayle me surpreendeu positivamente nesta obra. Adorei ter tido esta oportunidade, não ter pulado o livro, por causa de uma experiência “ruim” em outra obra.

“Você nunca conhece as pessoas de verdade, não é? – comenta ele.
Não. Não conhece. (pág.76) 
















13 Comentários

  1. Olá!
    Eu amei sua resenha, eu já li esse livro e acho que o que você disse está correto e a sua opinião é muito boa, mesmo!
    Parabéns pelo sucesso do blog e que continues a fazer resenhas assim, eu dei a este livro 4 estrelas também, por isso temos mais ao menos a mesma opinião! :)

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, que bacana. Sinal que tivemos interpretações parecidas. :)

      beijos. :*

      Excluir
  2. Oi, Ana! A sua resenha foi a primeira que me deu uma ideia melhor sobre este livro, e concluí que ele não é para mim. Reconheço a importância da temática, achei a sinopse muito boa, mas sinto que o livro, por direcionado a um público mais adolescente, acabará me tirando o tempo de ler outras obras que desejo mais. Entende? :)
    De qualquer forma, obrigada!
    Um abraço,
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Monalisa. Claro que entendo. Eu faço isso também, seleciono muito bem minhas leituras. Rs. Geralmente vou naquele que chama bastante minha atenção, até para não perder tempo.

      Beijinhos

      Excluir
  3. não vi resenhs desse livro ainda
    mas achei bem legal a sua,
    não sei se lerei , mas gostei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana.

      É uma leitura gostosa. Aborda um tema forte, mas de maneira sensível. A Gayle foi incrível neste livro.

      Beijos!

      Excluir
  4. Oi. eu concordo com a Monalisa, sua resenha ficou impecável, passando uma ideia legal do livro, me deixando com vontade de lê-lo. Divagando, agora, em suas palavras, creio que dê para nos conhecer, conhecer o outro, como somos induzidos a acreditar, na íntegra, me soa como falácia, talvez, num futuro, possa estar enganada, lógico...

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Sua resenha está maravilhosa e me deixou muito interessada nessa leitura.
    Com certeza, é um livro que eu não daria atenção em uma livraria. Mas você me convenceu que vale a pena.
    Gosto de livros que nos alertam sobre essas questões que as vezes nem damos importância e esse deve ser bem impactante, por nos fazer refletir sobre o quanto conhecemos, de fato, uma pessoa.
    Me pareceu que tem bastante mistério e suspense envolvido, deve ser uma leitura maravilhosa, mesmo com assuntos fortes como o suicídio.
    Adorei.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Eu já queria ler o livro, com a sua resenha então... Acho que algum amigo devia me dar de presente, tá difícil kkkk
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  7. Tenho lido muitas resenhas positivas sobre este livro. E sabe, estou ficando intrigada com este "presente" que a Meg deixou. Estou curiosa por esta história!

    bjus
    Pensamentos Valem Ouro

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana, os enredo da Gayle chegam a ser de uma certa forma tristes mesmo, se for analisar bem, pelo menos na minha opinião. Mas eu gosto da forma como ela escreve, e mesmo ainda não tendo lido este, gostaria de fazer a leitura.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Ola Ana lindona estou querendo ler esse livro, gosto da escrita da autora, o tema abordado sempre chama atenção e nos deixa curiosos como o autor vai lidar com um tema pesado como esse. Engraçado muitas vezes pensamos que conhecemos a fundo uma pessoa, vem a vida e nos mostra que não. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  10. gente, eu preciso muito deste livro, ele está na minha lista de leitura, mas ainda não pude ler...
    Adorei sua resenha, adoro livros que nos surpreendem!

    www.detudopouco.com.br

    ResponderExcluir