Livro:Razão e Sensibilidade
Autora:Jane Austen
Editora:Martin Claret
Páginas:453




Sinopse:  Este romance concentra sua narrativa nas idílicas tramas de amor e desilusão em que duas belas irmãs inglesas se envolvem - Elinor e Marianne Dashwood - quando chega a idade do casamento. À procura do amor verdadeiro, as filhas órfãs de uma família pertencente à pequena nobreza enfrentam o mundo repleto de interesses e intrigas da alta aristocracia. Marianne e Elinor representam polos opostos do universo ético de Austen - enquanto Marianne é romântica, musical e dada a rompantes de espontaneidade, Elinor é a encarnação da prudência e do decoro.


Razão e Sensibilidade foi o primeiro romance Publicado em 1811 da Jane Austen. Onde conta a história de duas irmãs, Elinor e Marianne, que à medida que vamos lendo, entendemos imediatamente o título do livro, que pode ser trocado perfeitamente por Elinor e Marianne. Pois o nome da obra, define cada uma. Elinor é centrada, séria e tenta esconder todas suas emoções, é pura razão. Enquanto Marianne é romântica, impulsiva e fala tudo que sente, completamente aberta, não esconde nada.

"Marianne permaneceu calada. Era impossível para ela dizer o que não sentia, por mais trivial que fosse a ocasião, e portanto sempre cabia a Elinor a tarefa de contar mentiras quando a educação o exigisse..."


As duas têm suas vidas completamente alteradas, com a morte de seu pai. Pois toda a herança fica com o filho homem mais velho, John. Que é fruto do primeiro casamento. Assim, elas são obrigadas a viver em outras condições, mais simples.
   Então as duas irmãs Elinor e Marianne, mais a irmã caçula e a mãe, vão morar em um simples chalé, onde acontecerão várias situações, vão conhecer o amor, e também terão grandes decepções, irão viver em uma rede de intrigas e fofocas, e vão ver o que domina no mundo delas, é o dinheiro e o interesse. E elas terão que amadurecer da pior maneira possível; sofrendo, com grandes desilusões. 


"Elinor, fui cruelmente usada...Pelo mundo inteiro, contudo não pelo coração. Eu prefiro acreditar que todas as pessoas que conheço se uniram para arruinar minha reputação junto a ele, a acreditar que sua natureza seja capaz de tamanha crueldade..."

Este é o meu primeiro livro da Jane, E tive um começo meio devagar, com ele, pois enrolei um pouco... Não! na verdade, enrolei muiiiiito, passei dois meses lendo este livro. Sério. rs. Tive um pouco de preguiça também, não sei se porque estava de olho em outro livro, ou se foi por causa da escrita. Mas, o importante que fui adiante, e foi uma experiência diferente e interessante. E eu gostei muito de alguns personagens, como as irmãs Elinor E Marianne e sua mãe Sra. Dashwoodo. O legal deste livro, que podemos visualizar como as mulheres viviam antigamente, como era a sociedade. O comportamento. E percebemos a crítica que a autora faz a sociedade da época por trás do romance. Pois através das irmãs e outros personagens, conseguimos ver como a mulher não tinha voz, sua opinião não interessava. Vemos um machismo em alta. Tinha os casamentos arranjados, e a família tinha que ter dinheiro, Porque sem dinheiro, você não era nada. O que valia era o status, o poder. 
 A Jane nos mostra personagens de bom carácter, como tem em todo lugar. Mas teremos algumas "peças boas", que misericórdia!
Outro fato que chama atenção, é que, mesmo o livro sendo de outra época, escrito séculos atrás, notamos várias semelhanças com nossa sociedade atual, podemos enxergar vários traços mesquinhos e preconceituosos, muita coisa ainda persiste até hoje. Mas claro que, de uma maneira diferente, as vezes mais suaves. Mas existe.

 Elinor e o irmão(John). Onde ela fala da mulher não ter voz.

“-Pelo que vejo,  a mulher não tem voz no capítulo.
-Voz no capítulo! Que quer dizer com isso?

-Só quero dizer que me parece, pelo seu jeito de falar, que deve ser indiferente para a Srta. Morton casar-se com Edward ou Robert.”

 Fiquei impressionada com o irmão ( John) das meninas. Super interesseiro e banana nas mãos na esposa! Na verdade fiquei com raiva dele e da esposa, pelo o que fizeram durante toda a história.  E também fui surpreendida pelas reviravoltas que tem na história, pois há segredos, e estes irão afetar as duas irmãs. Mas gostei da forma que elas conseguiram levar as situações... Usando toda razão e sensibilidade, as duas conseguem sobreviver nessa selva,cheia de regras e injustiças, sem perder a dignidade. Sendo que veremos o amadurecimento das personagens, de acordo com as decepções amorosas. E nos mostram que ninguém é só Razão ou só emoção, e nem devemos ser.  Pois somos seres humanos e vivemos assim nessa dualidade,nessa balança. É só equilibrar.

"Ela é muito consciente de seu próprio valor para sentir uma falsa vergonha - replicou Edward. - A timidez é apenas o efeito de um senso de inferioridade, de um modo ou de outro..."

"O futuro será a minha prova."

Nota: 



Deixe um comentário